quarta-feira, outubro 5, 2022

Em áudio, PM conta porque matou toda sua família;

Uma crise no relacionamento entre o soldado da Polícia Militar do Paraná Fabiano Junior Garcia e a esposa, Kassiele Moreira, pode ter motivado o assassinato da mulher e de outras sete pessoas. O caso ocorreu na noite de quinta-feira (14/7), nas regiões de Toledo e Céu Azul (Paraná).

O militar de 37 atirou e matou a esposa Kassiele Moreira Mendes Garcia, de 28 anos; o filho Miguel Augusto da Silva Garcia, 4; a filha Kamili Rafaela da Silva Garcia, 9; a enteada Amanda Mendes Garcia, 12; a mãe Irene Garcia, 78; o irmão Claudiomiro Garcia, 50; e dois desconhecidos: Kaio Felipe Siqueira da Silva, 17, e Luiz Carlos Becker, 19. Ele tirou a própria vida em seguida.

Em coletiva de imprensa, o coronel Hudson Leôncio Teixeira, comandante-geral da Polícia Militar do Paraná, afirmou que Fabiano não tinha histórico de problemas na corporação. O crime teria sido motivado pela separação do casal. E que ele teria planejado a ação.

“Ele mandou áudios para família e amigos explicando a situação. O que deu a entender que a motivação para toda essa tragédia foi a separação. Ele não estava aceitando essa situação. Efetuou um disparo de arma de fogo contra a própria cabeça, vindo a óbito”, disse Teixeira.

 

Segundo o coronel, Fabiano estava há 12 anos na corporação e era um “excelente policial”. “Causou estranheza, surpresa e decepção. Foi aberto um inquérito para apurar o caso”

.

 

Dinâmica do crime

De acordo com a PM, Fabiano saiu do 19º Batalhão da Polícia Militar de Toledo por volta das 19h. Às 23h, ele ligou para o cunhado falando sobre a crise com a esposa. O crime ocorreu no intervalo entre 23h e 00h30.

Em Toledo, ele matou a esposa e a enteada de 12 anos. Depois foi até a casa da mãe e a matou com facadas. No local, ele também atirou contra o irmão. Informações preliminares apontam que Fabiano se dirigiu até o município de Céu Azul e matou os dois filhos que moravam com a avó materna.

 

O homem voltou à cidade de Toledo e atirou contra duas pessoas aleatórias que passavam pela região. “Presumo que ele já tinha um planejamento, já tinha a intenção de fazer tudo isso”, avaliou o coronel da Polícia Militar.

 

“Estamos abalados, ninguém quer uma situação dessa. Matou seis pessoas da própria família e duas pessoas que ele não conhece. Foi deslocada uma equipe de assistência social da PM para dar atendimento aos familiares que estão na região e para conversar com os policiais que eram amigos dele”, conta.

Investigações

Em nota, a Polícia Civil do Paraná informou que as delegacias de Toledo e Céu Azul instauram inquéritos e realizam diligências para apurar os fatos.

“Perícias foram realizadas nos locais e equipes de investigação seguem na coleta de informações para estabelecer a dinâmica dos fatos”, divulgou a corporação.

ULTIMAS NOTÍCIAS
- Anúncio -
- Anúncio -spot_img
- Anúncio -spot_img
- Anúncio -spot_img

veja também