terça-feira, agosto 9, 2022

Ex-assessor de deputado é preso por extorsão; ex-assessora de Jacobina é suspeita de envolvimento

O ex-assessor do deputado federal Abílio Santana (PSC-BA), Dejardes Cézar da Silva Filho, foi preso em flagrante pelas Polícias Civil e Militar, na última quarta-feira (20/4), na região da Estrada do Coco. Segundo informações do parlamentar, Dejardes atuava juntamente com a também ex-assessora, Damares Silva (ex-cargo comissionado da prefeitura de Jacobina), na prática de crimes de extorsão mediante chantagem, crimes digitais e associação criminosa. O caso foi registrado na 26ª Delegacia Territorial da Polícia Civil, localizada em Catu de Abrantes, região metropolitana de Salvador.

De acordo com informações do Boletim de Ocorrência, Dejardes Cézar da Silva Filho pediu R$ 180 mil ao parlamentar para não divulgar suposto vídeo de Damares acusando o político de abuso sexual quando ainda era menor de idade. Áudios nos quais Damares autoriza Dejardes a buscar o dinheiro evidenciam a participação dela nos atos criminosos. O ex-assessor foi flagrado por policiais após receber a quantia de R$ 32 mil, em espécie. Damares foi indiciada juntamente com o réu preso.

O deputado federal, classificou o período que foi chantageado como “dias de terror”. “Não me renderei a ameaças, calúnias e jogo baixo de quem quer que seja. Sou um homem de bem e repudio veementemente essas atitudes criminosas do ex-assessor Dejardes, que de maneira covarde tentou me extorquir com a ameaça de vídeos mentirosos. Passei por dias de terror, não por medo, mas por não saber até que ponto uma pessoa sem caráter pode chegar. Felizmente, a justiça começou a ser feita. Canalhas, mentirosos e corruptos devem estar atrás das grades. Não me curvarei a nenhum indivíduo que queira se utilizar da minha imagem para levar vantagens, de forma ilícita. A justiça dos homens foi eficaz, mas a de Deus é ainda mais, rigorosa, eficiente e concreta”, disse Abílio Santana.
Segundo Elaine Laranjeiras, titular da 26ª delegacia onde o caso foi registrado, as apurações foram iniciadas depois que o deputado registrou ocorrência na unidade. “Ele relatou que o ex-assessor e outra ex-funcionária de seu gabinete, estariam ameaçando divulgar vídeos acusando-o de abuso sexual. A mulher teria chegado a postar uma foto, com informações caluniosas”, detalhou a delegada, ressaltando a possibilidade de envolvimento de outras pessoas no crime.
Em 2020, Abílio Santana foi apontado por outra ex-assessora, Letícia Mariane, como pai de sua filha, concebida numa relação extraconjugal, uma vez que o parlamentar era casado. Na época, a jovem contou que quando engravidou, Abílio sugeriu a realização de um aborto oferecendo-lhe dinheiro para ‘resolver o problema’.
Fonte: BNews
ULTIMAS NOTÍCIAS
- Anúncio -
- Anúncio -spot_img
- Anúncio -spot_img

veja também