sexta-feira, agosto 12, 2022

Irmão de Daniel Alves, presidente do Juazeiro é agredido em partida com Jacobinense

A semifinal da Série B do Campeonato Baiano, disputada neste sábado, em Jacobina, chamou atenção por causa de uma briga durante o intervalo do jogo entre o Jacobinense, mandante da partida, e o Juazeiro.

Presidente do time visitante, Ney Alves, irmão de Daniel Alves, foi um dos envolvidos na confusão, além do mandatário do time de Jacobina, Marcos Manassés. Nas imagens, é possível ver Ney Alves tentando evitar a confusão entre várias pessoas, incluindo dirigentes.

Ney Alves contou que registrou um boletim de ocorrência na delegacia de Jacobina, contra Marcos Manassés..

Estou numa delegacia registrando o boletim de ocorrência. O presidente do Jacobinense é um mau-caráter. Coloquei ele no ar condicionado em Juazeiro, no primeiro jogo. E fez isso hoje. O problema começou quando terminou o primeiro tempo do jogo. Eles começaram a molhar somente o gol onde nosso goleiro iria atuar no segundo tempo. Daí fomos reivindicar e sofremos todas essas agressões. [Fui atingido] No rosto, por um dos gandulas. Após a confusão, os policiais nos levaram para um outro lado. E, no final, ainda jogaram [torcedores] pedras onde estávamos”, contou.

Marcos Manassés deu sua versão. Ele relatou que levou um tapa e descreveu a confusão como “antijogo”.

“Não era motivo para se ter confusão, foi ligado à irrigação do gramado, e o presidente e a diretoria do Juazeiro queriam tumultuar, porque isso favorecia ao Juazeiro, confusão, antijogo, jogo difícil. Eu estava, inclusive, com a Polícia Militar, tentando acalmar os ânimos. E não sei quem foi o abençoado que fez isso, mas me deu um tapa. Não é correto o que eu fiz, não é certo. Mas aconteceu. Pequena confusão, que já foi acalmada, resolvida. Situação difícil e constrangedora até para eu responder”, disse.

Questionado sobre o boletim de ocorrência, Manassés afirmou: “Se ele [Ney Alves] acha que esse tipo de atitude [boletim de ocorrência] e situação vai deixá-lo satisfeito, que faça, não tem problema algum”.

Felipe Manassés, filho do presidente do Jacobinense, também esteve na confusão. Por telefone, ele falou que tudo começou quando dirigentes do time adversário tentaram invadir o campo.

“Jogo como esse, a gente sabe que o emocional fica à flor da pele. Eles [direção do Juazeiro] se incomodaram com a irrigação, que foi ligada durante o intervalo do jogo, campo seco. Foi aí que tudo começou. Desceram em dez pessoas, eu estava sozinho na hora, e começaram a falar que a irrigação foi para favorecer o Jacobinense. Eles desceram da área reservada, do camarote, e tentaram entrar no campo, falando que estava errado, alterados, xingando muito. Eu estava sozinho e comecei a pedir calma, explicando que o procedimento é normal e acontece em todo jogo. Ele [Ney] continuou super alterado e aí começou o empurra, empurra. Eu e o Ney somos amigos. Mandei mensagem pra ele aqui, mas ainda não respondeu. Eles sabem que foram eles que começaram a confusão. Desceram umas dez pessoas. Mas vai ser tudo resolvido”.

Ao ser procurada pela reportagem, a Federação Bahiana de Futebol (FBF) disse que não vai se pronunciar e que o caso será encaminhado ao Tribunal de Justiça Desportiva do Futebol da Bahia (TJD-BA).

Jacobinense pela primeira vez na elite

Dentro de campo, festa para o time da casa. O Jacobinense subiu para a primeira divisão do Campeonato Baiano pela primeira vez. Estreante no futebol profissional, a equipe de Jacobina venceu o Juazeiro nos pênaltis, após triunfar por 1 a 0 no tempo regulamentar. Na partida de ida, o Juazeiro havia vencido por 2 a 1.

Nas penalidades, o time da casa venceu por 7 a 6.

A final da Série B será disputada contra quem passar de fase no duelo entre Jequié e Itabuna. As equipes se enfrentam neste domingo, no Estádio Waldomiro Borges, em Jequié.

Manassés comemorou a conquista

“O objetivo é subir para a Primeira Divisão é ter um time com mais visibilidade, para colocar mais jogadores da base para a Bahia toda, construir dois CT’s, um será em Salvador, provável que seja em Cajazeiras, e outro aqui em Jacobina e região. Muitos talentos para colocar jogadores no mercado, na vitrine, como fizemos como o Danilo, do Palmeiras. Vendemos um percentual para o Palmeiras, temos 20% do Danilo, e vamos investir esses recursos em CT’s e em estruturar o clube. Objetivo também é subir para a Série C, cenário nacional. Disputar título baiano, não tenha dúvida”, disse.

Fonte: Globo Esporte

ULTIMAS NOTÍCIAS
- Anúncio -spot_img
- Anúncio -spot_img
- Anúncio -spot_img

veja também