22 jun 2024

Bahia teve mais de cinco mil óbitos por AVC em 2023

Uma das doenças que mais fazem vítimas no mundo é o acidente vascular cerebral (AVC). Conhecida mais popularmente como derrame, esta doença que provoca internações e incapacitações em seus pacientes costuma levar a óbito por dia no país, cerca de 12 pessoas, segundo informa a Associação de Registradores de Pessoas Naturais (Arpen Brasil) e só em 2023, fez quase 110 mil vítimas no Brasil. Na Bahia, segundo informações da Secretaria de Saúde do estado (Sesab), mais de cinco mil baianos vieram a óbito no ano passado por conta da doença.
Ainda de acordo com a pasta, os idosos são o público que mais registram óbitos pela doença. Pessoas acima dos 70 anos são mais de 63% das vítimas dos acidentes vasculares cerebrais. Na capital baiana, segundo informações da secretaria, cerca de 759 pessoas morreram por conta do AVC no ano passado.
Conforme a pasta informou, a comunidade parda e o gênero masculino foram as categorias mais impactadas pelos óbitos decorrentes de AVC. Mais de 2,8 mil indivíduos pardos sucumbiram a essa condição. Além disso, destaca-se que 50,1% dos óbitos relacionados ao AVC são de homens.
Entre os indícios frequentes de um AVC, chamam atenção os sintomas de ter a sensação de fraqueza ou formigamento na face, braço ou perna, especialmente em um dos lados do corpo. Além disso, podem ocorrer sintomas como confusão mental, dificuldade na fala ou compreensão, alterações na visão, desequilíbrio, coordenação comprometida, dificuldade ao caminhar, sensação de tontura e dores de cabeça súbitas e intensas, sem motivo aparente. Esses sinais permitem a identificação rápida de um possível AVC. (TB)
Fonte: Tribuna Regional
DESTAQUE
spot_img
spot_img
spot_img
spot_img
spot_img
spot_img