12 jul 2024

Riachão: Homem desce para comprar remédio e quando retorna depara com uma cobra no bagageiro da moto

Um homem levou um tremendo susto no início da tarde desta segunda-feira, 08, quando abriu o bagageiro da moto para pegar a carteira em frente a uma farmácia no centro de Riachão do Jacuípe e deparou com uma cobra.
A equipe de socorristas voluntários da Brigada Anjos Jacuipenses foi acionada e fez a captura do répetil.
Segundo Lucival Souza coordenador da Brigada o dono da moto reside na zona rural do município, porém, trabalha de mecânico na sede do município de Riachão.
Morador da zona rural, muita gente pode imaginar que a cobra subiu na moto enquanto a moto estava lá, mas não foi isso que aconteceu. “O mecânico parou, entrou na farmácia e nesse espaço de tempo a cobra entrou, quando ele retornou para pegar a carteira que levantou o banco, viu o animal e levou um grande susto. Nossa equipe fez a captura e soltou em um local apropriado”, relatou Val como é conhecido o lider socorrista.
Sobre a cobra
A Philodryas é uma cobra não venenosa conhecida como “corre-campo”. Embora não seja peçonhenta, quando ameaçada ou acuada torna-se agressiva, podendo dar bote e até morder. Tem atividade diurna e é terrícola. A base da sua alimentação são pequenos mamíferos e lagartos. Assim como outros animais, tem sido cada vez mais comum aparecer em áreas urbanas.
Outra cobra foi capturada em residência horas antes
A prova que encontrar animais silvestres em áreas urbanas é cada vez mais evidente, é que a brigada Anjos Jacuipenses horas antes de capturar a Corre-Campo, foi acionada para recolher um cobra muçurana.
Segundo o biólogo Giuseppe Puorto, do Instituto Butantan, essa é a Pseudoboa nigra, popularmente conhecida como Muçurana. O especialista afirma que a espécie não é venenosa, tem no máximo um metro de comprimento, se alimenta de roedores e tem a Caatinga e o Cerrado como habitat. De acordo com Puorto, somente a Muçurana tem essa coloração e ela só vai morder se for muito manuseada. Quando se deparar com uma cobra, o biólogo recomenda que se chame o Centro de Controle de Zoonoses da sua região ou simplesmente deixe o animal ir embora.
Fonte: Calila Notícias
DESTAQUE
spot_img
spot_img
spot_img
spot_img
spot_img
spot_img