12 jul 2024

Técnica em enfermagem denuncia que foi agredida por filho de paciente

Uma técnica em enfermagem denuncia que foi agredida por filhos de uma paciente idosa de 80 anos. O caso aconteceu na última segunda-feira (1°), no bairro da Ribeira, em Salvador, na casa da própria paciente, onde está sendo acompanhada.
Na situação, um dos filhos, homem de 50 anos, teria a agredido quando a profissional da saúde preenchia o prontuário. O rapaz queria que ela fizesse outra atividade, o que não aconteceu. Em seguida, houve discussão e as agressões. Em entrevista à TV Bahia, Luanda Pinho relatou que o homem foi agressivo, violento e que se sentiu surpreendida comos acontecimentos.
“Eles [filhos da paciente] deitaram para descansar e eu aguardei eles acordarem para ficar com ela para que eu possa realizar um procedimento. Preencher o prontuário faz parte da atribuição da enfermagem da técnica de enfermagem, e quando eles acordaram que eu sentei para fazer isso, aí eu fui surpreendida pelas agressões”, disse.
“Ele disse ‘Você tem que ficar com minha mãe’. Eu disse ‘eu preciso anotar, é importante, tem que anotar, registrar as medicações que eu dei para sua mãe, registrar os materiais que eu utilizei, assistência que eu fiz, tudo porque o prontuário ele é um documento importante’. Começou primeiramente com agressão verbal”, adicionou.
Segundo a mulher, ele disse: “a empresa a empresa fica mandando esse monte de mulher preguiçosa, um monte de mulher cínica. Você não vai levantar para cuidar de minha mãe, não? Você quer que eu pegue você pelo braço para você cuidar de minha mãe? Você não vai levantar não, Luanda?”.
Com medo, Luanda reagiu se retirando da casa. “Aí eu falei, ‘não, não vai precisar o senhor fazer isso comigo, não, porque eu vou sair do domicílio. O senhor pode ligar para a empresa e informar que quer a substituição da técnica, porque eu não tenho mais condição de dar assistência diante dessas agressões. Ele me xingou de desgraça, cínica, preguiçosa, me ameaçou”, completou.
“É importante a gente dizer que há sempre um componente racial. Ela é uma mulher negra e numa posição de trabalho e de cuidados. Os agressões são pessoas brancas. Nunca é à toa. Adotaremos todas as providencias necessárias”, afirmou a advogada de Luanda.
O homem responsável pelas agressões é soropositivo e, por isso, a técnica em enfermagem será submetida a exames médicos e profilaxia. O caso foi registrado como lesão corporal na 3ª Delegacia de Polícia Civil, no bairro do Bonfim. A irmã do rapaz, por sua vez, se pronunciou afirmando que “a história não é bem essa” e que o homem irá se manifestar por meio de um advogado.
Fonte: BNews
DESTAQUE
spot_img
spot_img
spot_img
spot_img
spot_img
spot_img