14 jul 2024

Julgamento de Lainy Ferreira é suspenso após ausência de advogados de defesa

Foi suspenso na manhã desta quinta-feira, 23 de maio, o júri popular de Lainy Ferreira Fingergut, conhecida como “gatinha manhosa”, acusada de homicídio contra Erica Souza Santos. O crime ocorreu quando, na verdade, sua intenção era matar Celiane Alves de Oliveira, cunhada da ré. O incidente aconteceu no estabelecimento comercial Nordeste Grãos em Capim Grosso, no dia 27 de outubro de 2022.

O julgamento foi suspenso devido à ausência dos advogados de defesa, que alegaram cansaço físico e mental para justificar a não participação na sessão do júri, outa sessão no dia 15 de abril já havia sido suspensa por dissolução do conselho de sentença.

O Ministério Público solicitou ao magistrado da Comarca a imposição de sanções aos advogados, incluindo representação junto à OAB, multa de 10 salários mínimos à ré, e a nomeação de um novo advogado para defender Lainy.

O juiz Dr. Marcus Vinicius acatou parcialmente os pedidos do Ministério Público, determinando a aplicação da multa à ré, a representação junto à OAB e o envio da ata da sessão ao Tribunal de Justiça da Bahia (TJ/BA) e ao Supremo Tribunal Federal (STF). A defesa de Lainy havia solicitado o adiamento da sessão do júri, a alteração da data do julgamento e a mudança para outra Comarca.

O magistrado afirmou que as justificativas da defesa não eram plausíveis, e que aceitar tais razões abriria precedentes para que todos os julgamentos em Capim Grosso fossem adiados por alegações de cansaço. Ele lembrou que a promotora do caso também havia trabalhado em um júri na terça-feira, 21 de maio, assim como os advogados, mas mesmo assim estava presente na sessão.

Por fim, como a ré estava sem defesa, o juiz suspendeu a sessão e marcou uma nova data para o dia 23 de julho, quando um novo sorteio de jurados será realizado e convocado para o novo júri.

DESTAQUE
spot_img
spot_img
spot_img
spot_img
spot_img
spot_img